Home>Saúde>Linguagem do corpo: entenda o que é e para que serve
Saúde

Linguagem do corpo: entenda o que é e para que serve

Num triste dia ouvi um diagnóstico de doença incurável… Eu? Imagina… deve ter algum erro nisso. Não me sinto doente. Só tenho muitas dores pelo corpo todo… E, assim, se passaram muitos anos com tratamentos severos e conclusões acerca da doença autoimune (artrite reumatoide), ainda piores. Foi quando saltei de mim mesma e tomei a decisão de procurar explicações na metafísica da saúde, dentro do conhecimento milenar da Medicina Egípcia (a mãe das Medicinas). Nela, encontrei todas as respostas que um ser humano necessita a respeito da cura mental, física e espiritual. Nunca vi nada parecido. Ocorreram, então, inúmeras sinapses, catarses e grandes transformações interiores.

Agora, cá estou, eu Thaís Fernandes Boscariol, numeróloga Pitagórica, formada em linguagem do corpo, palestrante, escritora e professora, trazendo a vocês leitores, um conhecimento de aproximadamente 11 mil anos, e, que salvou a minha vida de todas as formas que possam imaginar. Com a minha cura e, entendimento da mais sublime verdade, é que estou tendo a oportunidade de toda semana trazer muitas informações acerca desse conhecimento e desvendar os mistérios da Linguagem do Corpo e da Fisiognomonia a quem possa interessar. Na verdade, trata-se de um conhecimento secreto, afastado drasticamente do nosso cotidiano, por conta de interesses religiosos e capitalistas que pairam sobre o tema autoconhecimento e saúde. Mas, me sinto na extremada obrigação de tornar esse conhecimento público e acessível a todos que estiverem preparados para uma nova realidade. Certamente, ele já faz parte do nosso inconsciente coletivo, e, portanto, desperta interesse na grande maioria das pessoas.

Ihmotep, o pai da Medicina, nos deixou uma grande verdade: as doenças não existem! Se você ainda acredita que elas existem, pare tudo. Perceba que existe uma força maior dentro de todos nós que se chama inconsciente. Ele representa 95% das informações que armazenamos em nosso ser. O restante, 5% simbolizam nosso consciente, as nossas experiências, crenças, família, conhecidos e conhecimentos. Ocorre que, diariamente, enviamos informações ao nosso inconsciente, quer seja por pensamentos, palavras ou ações. Se as informações são negativas, lamúrias, tristezas, angústias entre outras, o seu próprio inconsciente cansado de receber tanto lixo, e tanta intoxicação na corrente sanguínea advinda das substâncias químicas produzidas por esse maléfico arsenal, devolvem para o corpo o resultado deste comportamento mental em forma de acidentes ou doenças. Portanto, veja, doenças são informações apenas.

Eu costumo dizer que a doença surge quando acionamos um botão mental errado. Quando entendemos todo esse processo e, decidimos desacionar o citado botão, então temos a cura. É isso mesmo, bem simples assim.

Daí entra todo o conhecimento milenar egípcio que nos mostra a correlação que o inconsciente faz com o órgão correspondente às atitudes mentais e comportamentais das pessoas.

Vamos aos exemplos práticos que tanto nos dão entendimento e clareza.

Imaginemos agora o estômago. Na linguagem do corpo, ele é visto como um jovem; um cara legal. Ele está lá, todos os dias de braços abertos ao alto esperando pelo novo alimento, que ele não tem comando e seleção alguma. Recebe-o, faz a primeira etapa da digestão separando as vitaminas e nutrientes úteis ao bom funcionamento do nosso organismo. Depois, conduz o restante do alimento à outra parte da equipe (fígado, pâncreas, intestinos, etc) que irão concluir com sucesso a tarefa que é incumbida a cada órgão. Nesse exato instante, cabe ao estômago, apenas delegar funções e confiar no trabalho da sua equipe, sem ter condições e nem necessidade de fiscalizá-las.

Agora vejam: se a pessoa vive presa as suas crenças e rígida nos seus pensamentos, não sabendo delegar funções no seu trabalho ou mesmo em casa, nas tarefas domésticas. Se não confia no trabalho que o outro pode fazer, logo, essa pessoa estará se sobrecarregando de tarefas, pois acumula todas a ela. Tem pensamentos duros de perfeccionismo e seletividade, além de diversas críticas e exigências. Logo, essa pessoa sofrerá de problemas estomacais, sejam eles quais forem (azia, má digestão, refluxo, gastrite, úlcera, etc)

O que ocorreu foi que o inconsciente da pessoa associou o seu comportamento diário e jogou para o corpo, a mesma informação que foi mantida por determinado tempo, correlacionada à exata função dentro do organismo, através de uma patologia. Quando a doença surge, logo corremos à farmácia, nos automedicamos, o sintoma, muitas vezes dá uma trégua momentânea e, então, “segue o baile” com o mesmo padrão comportamental que provocou todo esse mal-estar. Então, os sintomas ressurgem e decidimos procurar o médico. Exames, mais exames, diagnósticos, muitos remédios e algumas dietas alimentares bem rigorosas. Porém, o tempo passa e você, subitamente, repara que está completamente viciado e depende quimicamente daqueles remédios…

Acontece que, nenhum ser humano está nesta vida para viver refém de substâncias químicas. Então, a insatisfação prossegue, pois, em nenhum momento, você recebeu esta simples instrução que acabei de oferecer. Outros problemas surgem por conta deste flagelo diário.

Veja, um remedinho paliativo pode até ser ministrado momentaneamente, até mesmo para minimizar o sofrimento do paciente. Mas é de extrema importância entender as causas daqueles sintomas. De posse do conhecimento é que a pessoa fará escolhas. Ou ela continua no mesmo caminho errôneo que está, e se mantém na triste realidade cega das medicinas tradicionais, ou ela decide mudar seu padrão comportamental e sanar, definitivamente, o problema.

Outro conhecimento extremamente útil que vou dividir com vocês e falar sobre ele inúmeras vezes é a lateralidade. Tudo no universo respeita a dualidade dos gêneros; masculino e feminino, positivo e negativo, côncavo e convexo, dia e noite, Sol e Luz, entre outros. Pois bem, com base no Taoísmo sabemos da existência das polaridades Yin (negativo, feminino e cor preta) e Yang (positivo, masculino e cor branca). Seguimos a essência da dualidade integrativa, ou seja, para que se haja equilíbrio no universo, essas polaridades devem permanecer sempre em equilíbrio também. Mais pra frente irei explicar melhor essa interessante questão. No momento, o que quero deixar claro é que você guarde no seu consciente a seguinte informação: Tudo o que acontece do lado direito do corpo, significa conflito com alguma mulher próxima (lado Yin). Tudo o que acontece do lado esquerdo do corpo, significa conflito com algum homem próximo. Da mesma forma, subentende-se que os órgãos localizados à direita do nosso corpo estão diretamente associados com alguma mulher, bem como, os órgãos que se encontram ao lado esquerdo do corpo a algum homem.

Ao longo dos nossos encontros semanais falaremos muito sobre esses e outros tantos assuntos sobre esse tema incrível!

O meu intuito será sempre elucidar questões acerca das doenças e trazer a cura para vocês. Chega de acreditar numa medicina que não encontra as causas de todas as doenças. Todos nós temos o direito de ter de volta o conhecimento que nos foi roubado. Assisto a cura diariamente de muitas pessoas… e sei que isso é só o começo.

Não estou aqui para acusar ou afrontar a Medicina Tradicional, e sim, para dizer a quem quiser ouvir, que doenças não existem, e, que a cura está disponível, assim como um dia esteve a milhares de anos atrás.

Que me desculpem aqueles que não acreditam nisso… mas, façam como eu: estudem e pesquisem!

Temos que quebrar crenças que nos limitam e nos impedem de ter uma vida digna e saudável.

No nosso próximo encontro vou falar sobre fígado e problemas hepáticos. O que fazer para curá-los?

Se você quiser falar comigo, mande e-mail para thboscariol@gmail.com ou pelo whats 14-99669-5940.

Que Deus abençoe vocês e paz profunda!

Comentários

Comentários