Home>Destaques>O impacto da agricultura familiar
Destaques

O impacto da agricultura familiar

A agricultura familiar é responsável pela produção de aproximadamente 70% dos alimentos que abastecem a população brasileira. Ela consiste no cultivo da terra realizado por pequenos e médios proprietários rurais, onde os membros da família se dedicam essencialmente ao cultivo de alimentos.

A produção diversificada é uma característica marcante desse setor e pode incluir produções agrícola, florestal, pesqueira, pastoril e aquícola. A família tem a agropecuária como a principal fonte de renda.

Segundo o Censo Agropecuário, a agricultura familiar é responsável pela produção brasileira de:

  • 87% de mandioca
  • 70% de feijão
  • 59% da criação de suínos
  • 58% de leite
  • 50% da criação de aves
  • 46% de milho
  • 38% de café
  • 34% de arroz
  • 30% da criação de bovinos
  • 21% de trigo

Além de praticamente garantir a alimentação de um país inteiro, essa prática contribui também para a segurança alimentar, segurança nacional, defesa do território e para a estabilidade dos governos. Os agricultores familiares são numerosos e por isso, a produção deles é diversificada. Mas, como não são capazes de carregar grandes estoques de alimentos eles acabam por manter a oferta sempre regularizada e diversa.

Além de ser um pilar político e econômico para um país, a agricultura familiar ajuda a promover um cultivo orgânico, já que agricultores desse segmento em grande parte optam por não usarem agrotóxicos. Essa prática é sustentável e ajuda na preservação do solo.

Esse tipo de produção também preserva a tradição familiar, expressando a identidade territorial a partir de alimentos típicos da região, fundamental no combate à padronização mundial da alimentação.

A agricultura familiar sustenta uma série de políticas de combate à fome, contribuindo, inclusive, para o crescimento econômico do país e para a geração de trabalho no campo. Isso, por sua vez, influencia diretamente o combate ao êxodo rural e, consequentemente, a qualidade de vida nos centros urbanos.

Comentários

Comentários