UPbe04
Editorial SaúdeGeralSaúde

Dopamina: Conheça 5 maneiras de manter níveis saudáveis do hormônio da felicidade

Entenda como equilibrar sua rotina e manter níveis saudáveis de dopamina são hábitos para ser uma pessoa mais feliz diariamente

Conhecida como hormônio da felicidade, a Dopamina é uma das substâncias liberadas pelo nosso corpo, responsável por nos manter motivados a realizar as tarefas diárias. Em grandes quantidades, ela nos garante sensações de prazer e alegria, além de nos auxiliar de outras maneiras na manutenção do nosso bem-estar, como quando estamos descansando.

A dopamina não é o único hormônio da felicidade, além dela temos a serotonina e ocitocina, que desempenham ações semelhantes, mas neste artigo iremos tratar mais especificamente sobre os efeitos da dopamina no nosso corpo.

UPbe16
A imagem retrata uma menina, com vestes amarelas, em um jardim repleto de flores e borboletas, sorrindo com uma borboleta pousada em seu nariz.
Especialistas afirmam que é possível ser mais feliz com pequenas mudanças na nossa rotina (Reprodução: Freepik)

Bem sabemos que nossos corpos funcionam como uma máquina e, se algo não vai bem, as engrenagens podem não trabalhar da forma que deveriam e nos acarretar uma série de problemas. Isso também acontece quando se trata dos nossos hormônios, incluindo os responsáveis pela nossa felicidade e sensação de bem-estar. 

Quando os níveis destes hormônios em nosso organismo estão muito baixos, especificamente no caso da dopamina, há uma redução da nossa motivação e do nosso entusiasmo com coisas que teoricamente deveriam nos dar prazer. 

Pensando no seu bem-estar físico e mental, trouxemos neste artigo algumas dicas de como conseguir manter a dopamina, e até mesmo outros hormônios da felicidade, em níveis considerados como saudáveis por especialistas. Portanto, continue a leitura!

UPbe15

1. Cuide da sua alimentação

Ter uma alimentação equilibrada e saudável é ideal para conseguir manter a dopamina em níveis saudáveis. Alimentos ricos em proteínas possuem aminoácidos importantes para o processo de produção do hormônio da felicidade, como a tirosina, que se transforma em dopamina pela ação de algumas enzimas. 

Mas, engana-se quem pensa que se alimentar bem implica gastar muito dinheiro. É possível obter esses nutrientes em alimentos simples, como o arroz e o feijão. O importante é prezar por alimentos saudáveis, evitando por exemplo, o consumo de gorduras saturadas. 

2. Pratique exercícios

De acordo com o Dr. Roberto Franco, especialista em medicina laboratorial, a prática de exercícios físicos é extremamente benéfica para o cérebro. Esse hábito não só contribui para a renovação das células cerebrais como também melhora o fluxo dos nutrientes para o cérebro, consequentemente, otimizando os níveis de hormônios como a dopamina e a serotonina. 

As atividades físicas melhoram o humor de quem as pratica e você não precisa estar necessariamente na academia para liberar essas substâncias. Alguns minutos de caminhada, a prática de Yoga ou até mesmo a dança, são alguns dos exercícios que você pode praticar para ajudar na manutenção dos níveis de dopamina.

A imagem mostra um homem deitado ao lado de uma mulher em uma cama aconchegante, tendo uma boa noite de sono.
Noites mal dormidas são um problema para a liberação de dopamina no organismo (Reprodução: Freepik)

3. Regule seu sono

O sono constantemente desregulado pode prejudicar o ritmo do organismo na liberação de hormônios responsáveis por nos manter ativos durante o dia e reduzir o nosso ritmo durante a noite. 

A dopamina é responsável por nos manter energéticos e atentos, portanto quando ficamos acordados durante muito tempo à noite, a quantidade de dopamina diminui de forma significativa pela manhã, nos causando indisposição, entre outras consequências como falta de concentração e coordenação motora.

4. Coloque uma música

Assim como dançar, ouvir música pode ser uma das atividades mais divertidas para a liberação de dopamina. Pesquisas indicam que quando estamos em contato com a música há um aumento na atividade cerebral nas áreas de prazer, repletas de receptores do hormônio da felicidade. 

Até o momento, estudos envolvendo os neurotransmissores e a música estão limitados à apenas aquelas instrumentais, e ainda não existem comprovações a respeito das músicas com letras e se elas podem potencializar ainda mais estes efeitos positivos no nosso organismo. 

5. Trace metas diárias 

A dopamina é liberada também quando conseguimos completar tarefas e alcançar metas. Porém, todos sabemos que metas mais difíceis de serem alcançadas podem nos desmotivar no decorrer do processo, principalmente quando não vemos os resultados imediatamente. 

Isso tudo tem a ver com nossos hormônios e pode ser otimizado ao traçarmos pequenas metas e tarefas a serem cumpridas a cada dia, nos trazendo a sensação de dever cumprido. De acordo com o Dr. Roberto, a chave é transformar grandes objetivos em pequenas metas, liberando, assim, doses diárias de dopamina no nosso organismo. 

Agora que você já sabe como mudar alguns simples hábitos do dia a dia, é hora de buscar a tão sonhada felicidade através dos pequenos prazeres da vida!

Gostou das dicas? Então fique atento(a) ao nosso blog para saber mais sobre saúde e comportamento.

Por: Camila Martins – Jornal Junior – Unesp/Bauru

Acesse todos os nosso conteúdos de Saúde clicando aqui

Comentários

Comentários

Etiquetas
Mostrar mais
UPbe07

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar