ComportamentoEditorial ComportamentoGeral

Como a falta de abraços pode afetar sua saúde

Omaxlab
Três mulheres ao centro da foto. Uma asiática no meio, branca de cabelo preto liso sorrindo abraçando, ao seu lado direito, uma mulher negra de cabelo preto liso amarrado e blusa verde água claro também sorrindo. Ao lado esquerdo da do centro, uma mulher branca de cabelos ruivos, cacheado longo e blusa branca também rindo. Ao fundo, uma rua desfocada com prédios, mesas e cadeiras no passeio.
O abraço sempre foi muito importante para a humanidade (Reprodução: Frrepik)

Que o brasileiro é caloroso não é novidade para ninguém. O país tem fama de receber todos os estrangeiros muito bem e ser simpático entre os próprios conterrâneos. Uma das características dessa afetividade é o abraço, tão comum no cotidiano de cada pessoa. Você sabia que essa demonstração de carinho pode afetar a saúde dos indivíduos? Principalmente em quem está muito acostumado com a prática de abraçar. Acompanhe o texto para entender.

O período pandêmico

A partir de 2020, o mundo sofreu com o distanciamento causado pela pandemia. Dessa maneira, parentes ficaram afastados, sendo pais e filhos, avós e netos, tias e sobrinhos, irmãos… O que ocasionou um isolamento social onde não se pôde abraçar entes queridos. 

Além disso, não era possível abraçar conhecidos nas ruas, amigos que eram ocasionalmente encontrados pelas escassas andanças, nem mesmo apertos de mão eram permitidos. Se readaptar ao novo normal foi complicado, principalmente no Brasil, onde para ser educado e simpático era necessário um caloroso cumprimento.

Toda essa situação foi tão impactante na sociedade brasileira que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os casos de depressão e ansiedade aumentaram em 25% durante o período pandêmico. Demonstrando o quão complicado foi passar quase dois anos em completa falta de afeto e, principalmente, abraços. A saúde mental foi extremamente afetada por essa fase.

Uma mulher negra de cabelo cacheado black power castanho escuro e blusa marrom claro de manga longa de frente para a câmera abraçando um homem que está de costas para a câmera, homem branco, de cabelo preto curto e camisa azul marinho de manga longa. Ao fundo, uma paisagem desfocada de prédios.
O bem-estar pode ser garantido através do abraço (Reprodução: Freepik)

Já em 2022, com a retomada da vida no pós-pandemia, o que mais se pensava era em visitar as pessoas queridas e abraçá-las. Não por menos! Uma pesquisa realizada pela SOSI (State of Science Index), o Índice Anual do Estado da Ciência, mostrou que 64% dos brasileiros queriam se abraçar após a pandemia. 

Toda essa querência por abraços tem muitos motivos. Dentre eles:

  • As crianças, por exemplo, para se desenvolverem bem, precisam de muito contato físico. 
  • Os cientistas afirmam que precisamos sentir toques para que seja possível aliviar o estresse. Isso ocorre porque o abraço libera a ocitocina, que nos deixa mais relaxados, tranquilos, seguros e calmos. 
  • Não só para o bem-estar do espírito serve o abraço, mas também para o da nossa saúde. Pois existe uma correlação entre os abraços e a saúde do sistema imunológico. Sendo assim, abraçar colabora para não ficarmos doentes.

Saúde em dia ao abraçar

Como dito, o abraço possui diversos benefícios, até mesmo para a saúde, mas eles não param por aí. Abraçar nos deixa menos suscetíveis a ataques cardíacos, derrames, depressão, ansiedade e a doenças cardíacas, já que esse ato reduz a pressão arterial do corpo humano quando realizado.

A falta de abraços torna o indivíduo propenso a quedas de autoestima, aumento de insegurança, desamparo e solidão. Isso porque abraçar traz uma sensação de segurança e de apoio. Sem o abraço não existem esses sentimentos aflorados.

Oito pessoas enfileiradas de costas se abraçando. A ordem dita aqui segue da esquerda para a direita: a primeira pessoa é visível apenas o braço direito, pessoa branca com blusa marrom. a segunda pessoa é uma mulher negra de black power com a blusa manga curta listrada marrom e branco horizontalmente e calça jeans. a terceira pessoa é um homem branco, loiro de blusa de manga longa cinza e calça cor de creme. a quarta pessoa é uma mulher branca de cabelos loiros, usando uma blusa de manga longa cinza e uma calça preta. a quinta pessoa é uma mulher de cabelo longo preto, blusa de manga longa verde e calça jeans. a sexta pessoa é um homem negro de cablo preto curto, blusa preta e calça cinza. a sétima pessoa é uma mulher branca de cabelo preto longo usando uma blusa listrada de azul e branco verticalmente e calça preta. a oitava pessoa da para ver apenas o braço de uma pessoa branca com um relógio dourado. O fundo é uma parede branca lisa.
Saúde e convívio necessitam de abraços (Reprodução: Freepik)

Aproveitar os momentos com abraços é essencial

O mundo todo pede por momentos que possam favorecer a integridade mental e que possam fortalecer a saúde e o sentimento de bem-estar. Sendo assim, o abraço se mostra muito importante para a contribuição desses quesitos. 

Ainda mais na sociedade brasileira como um todo, onde a cultura do abraço está arraigada nos costumes da população, essa prática se mostra cada vez mais viva. Mesmo com a pandemia da Covid-19, não se extinguiu esse hábito dos indivíduos.

Gostou dessa matéria? Então, continue atento(a) ao nosso blog e confira mais informações sobre saúde

Por: Lucas Lima, Jornal Jr. – Unesp/ Bauru

Comentários

Comentários

Mostrar mais
UPbe07

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo